Favoritos de 2014 (em construção)

terça-feira, 8 de maio de 2018

Resenha || Asiáticos Podres de Ricos, de Kevin Kwan

Editora Record, 2018 || 490 páginas || Skoob
Sinopse: Best-seller internacional que inspirou uma das mais aguardadas adaptações cinematográficas do ano. Quando Rachel Chu chega a Cingapura com o namorado para o casamento de seu melhor amigo, imaginava passar dias tranquilos com uma simpática família. Só que Nick não mencionou alguns detalhes, como o fato de sua família ter muito, muito dinheiro, que ela viajaria mais em jatinhos particulares do que de carro e que caminhar de mãos dadas com um dos solteiros mais ricos da Ásia era como ter um alvo nas costas. Logo, Rachel percebe que não será poupada das fofocas e intrigas. Isso sem falar na mãe de Nick, uma mulher com opiniões bem fortes sobre com quem o filho deve – ou não – se casar. Um passeio pelos cenários mais exclusivos do Extremo Oriente – das luxuosas coberturas de Xangai às ilhas particulares do mar da China Meridional –, Asiáticos Podres de Ricos é uma visão do jet set oriental por dentro. Com seu olhar satírico, Kevin Kwan traça um retrato engraçadíssimo do conflito entre os novos-ricos e as famílias tradicionais em seu romance de estreia, que já fez milhares de leitores chorarem de tanto rir no mundo todo.  

RESENHA ✍

Asiáticos Podres de Ricos é o primeiro romance publicado de Kevin Kwan, nascido em Cingapura. O livro anda fazendo bastante barulho desde seu lançamento lá fora, em 2013. Agora os leitores brasileiros finalmente terão a oportunidade de ler também, nesta linda edição publicada pela Editora Record. E aproveitem para ler logo, pois em breve teremos a adaptação nos cinemas :)

Neste livro conhecemos Rachel Chu, uma economista e professora universitária de Nova York cujo namorado, Nicholas Young é o herdeiro bilionário de uma família abastada de Cingapura. Mas ela não sabe disso ainda! Em dois anos de namoro Rachel nunca conheceu a família do namorado, então quando ele a convida para o casamento de seu melhor amigo em Cingapura, ela aceita, meio temerosa, afinal ela poderá conhecer os sogros e saber mais sobre a vida de Nick.

Quando Eleanor Young descobre que o filho está namorando e, pior, levará a tal para conhecer a família, logo começa a maquinar um plano para acabar com aquele romance despropositado. Afinal, seu filho irá herdar um império, ele é um Young, e os Youngs não se misturam com qualquer um. Seu filho só pode ter enlouquecido! E essa tal de Chu... É uma ninguém, uma simples professora de Nova York que certamente quer colocar as mãos no dinheiro do seu amado filho. Não, ela não irá sossegar até ver a garota voltar com o rabo entre as pernas. E ela não é a única a querer o fim desse relacionamento.
"- Não faço a menor ideia de quem essas pessoas são. Mas uma coisa eu posso garantir: essa gente é mais rica do que Deus."



Rachel não estava preparada para o choque cultural e social que sofre assim que pisa naquele país e conhece a família de Nick. Eles não eram apenas ricos; sua fortuna passava dos bilhões, e todos faziam questão de mostrar isso a todo instante em demonstrações ridículas e roupas que custavam 10 vezes seu aluguel. E, para piorar, alguns ali parecem realmente odiá-la! E nem a conhecem direito... Logo Rachel Chu vai se dar conta de que naquele lugar e para aquelas um sobrenome é mais importante do que o caráter. Como poderia viver ali?
"Em algum momento, todos nós precisamos pagar pelos nossos excessos, não é?"
Eu estava mega ansiosa para realizar a leitura desse livro desde que foi lançado lá fora, e esse ano finalmente tive a oportunidade. Fiquei bem feliz quando meu exemplar chegou aqui na caixinha de Maio do Very Important Book (V.I.B.) e não demorei muito a pegá-lo.Vamos combinar, essa capa é ou não é maravilhosa?

Foi muito interessante acompanhar o desenvolvimento dessa trama e seus personagens, mas infelizmente minhas expectativas não foram alcançadas. Quando iniciei a leitura imaginei que Rachel, Nick e Eleanor seriam os personagens principais e a narrativa se dividiria entre eles. Na realidade, o livro se divide em vários (vários!) pontos de vista diferentes, em cenários e situações diferentes; alguns desses, nada tinham a ver com os protagonistas.

O livro é bem descritivo. O autor pode passar páginas e mais páginas descrevendo as roupas, as comidas e a decoração dos lugares; e ele faz isso. Não uma vez ou duas, mas todos os capítulos tiveram essas descrições, que depois de certo tempo começaram a ficar cansativas.

Tirando esses dois pontos que realmente me incomodaram bastante, o livro é bem escrito e traz algumas reflexões bem pertinentes, como a maneira muitas vezes nada saudável com que lidamos com dinheiro e pensamos nele ao apresentar personagens que dão mais valor ao status que à própria família.
"... Na Ásia, existe um momento certo para tudo, uma espécie de etiqueta."
Asiáticos Podres de Ricos tem romance, intrigas, muita inveja e várias situações que divertem e envolvem o leitor. Não foi uma leitura inesquecível, e fico triste por não ter aproveitado tanto quando achei que fosse, mas é certamente um livro que merece ser lido, especialmente se você gosta de chick-lits.

Vocês podem conferir o trailer do filme AQUI.

Espero que tenham gostado da resenha! Se já leu, me conta aqui nos comentários o que achou :)

3 comentários :

  1. Olá!

    Também recebemos esse livro é estou na metade, infelizmente estou demorando mais que o planejado, pois estou achando muito arrastado, como você disse descrição de mais, parece que a história principal não flui, estou na página 200 e pouco e nada de desenvolver a história dos protagonistas, espero que melhore em breve, pois ainda tenho esperanças de ser uma leitura muito positiva e que me deixe doida para ver o filme.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Estou louca por esse livro. Amei a capa, a premissa, mas ainda não pude comprar. Achei tão diferente. Quer dizer, estamos tão acostumados com uma cultura americana, até britânica, que aíi vm uma história de pessoas asiaticas ricas. Quer dizer, a gente sabe que tem muita gente rica no mundo, só nunca associa com asiáticos. Enfim, quero ler e saber se é realmente tão bom assim. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu já vi o trailer do filme e fiquei bem curiosa pra assistir; apesar dos pontos negativos que lhe incomodaram é uma leitura que ainda tenho certa curiosidade em fazer por me apresentar uma realidade/cultura/ambientação diferente do que tenho lido.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!