Favoritos de 2014 (em construção)

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Vermelho Como o Sangue, de Salla Simukka | #1

Autora: Salla Simukka
Título original: As Reed as Blood
Série: Trilogia Branca de Neve #1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 240
Skoob
Sinopse: No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue. Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos. Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios. Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.

Vermelho como o Sangue é o primeiro volume da trilogia Branca de Neve, da autora finlandesa Salla Simukka. Essa estimulante história se passa em um ambiente todo branco, com respingos de vermelho.

O inverno na Finlândia dos mais frios e brutais, e este não está sendo diferente, talvez até pior. Entre o gelo, a neve e o clima nada pitoresco está a misteriosa Lumikki Andersson, uma estudante da Escola de Artes que não tem amigos e mora longe dos pais, e ela decididamente prefere assim. É uma adolescente de poucas palavras e gestos calculados, que não se mete em confusão e não quer se encaixar em nenhum grupinho. Mas tudo na vida dela vira de cabeça para baixo quando ela entra no laboratório de fotografia de sua escola e se depara com um cenário bizarro: notas ainda úmidas  de dinheiro manchadas de sangue, penduradas como fotografias. Muito dinheiro, muito sangue; e Lumikki não sabe o que fazer.

Porém, ela não tem que pensar muito, pois os responsáveis por aquilo estão mais perto do que ela imaginava. E de repente a vida quieta e confortável da garota se torna um turbilhão de ação, emoção e muitas surpresas. De uma hora para a outra ela está no meio de uma séria briga entre mafiosos, agentes secretos e assassinos profissionais. Agora ela terá que usar tudo o que aprendeu em sua infância sobre fugir, se esconder e, acima de tudo, lutar. ´
"Ela prometera a si mesma que não ia mais ter medo. No entanto, estivera pensando em si mesma apenas. Não percebera que poderia sentir medo por outra pessoa. Se saísse naquele momento e fechasse a porta, poderia se livrar de tudo aquilo. Não se afastaria do medo, entretanto".
Salla Simukka cria neste livro uma trama repleta de reviravoltas e nos entrega uma protagonista cujo passado é um segredo muito bem guardado, e sobre as habilidades da mesma só nos entrega o necessário para que nós, leitores, não achemos se tratar de uma super-heroína.

A narrativa é em terceira pessoa, e 90% é pelo ponto de vista da protagonista. A ação fica por conta da máfia finlandesa/russa perseguindo a família de uma colega de escola de Lumikki, Elisa, que pede sua ajuda. Ao aceitar ajudá-la a desvendar o mistério que cerca o dinheiro, os perseguidores e o próprio pai de Elisa, um policial que parece estar envolvido com tudo isso e muito mais. Lumikki podia, a qualquer momento, desistir dessa ideia maluca e voltar para sua rotina normal e solitária, mas depois de desvendar alguns pontos dessa trama, ela está disposta a ir ainda mais a fundo; se tornou uma questão de honra.

É um bom livro, com um enredo envolvente e bem montado, além de uma protagonista forte, apesar de tomar algumas decisões no livro que me faziam querer entrar lá e trocar com ela uma palavra ou outra. Os personagens secundários não foram muito bem construídos, devo dizer, e a própria Elisa caiu no velho clichê de garota mimada do céu cor de rosa que pula e dá gritinhos; apesar de ela ser mais do que aparenta, e vemos isso mais no final na narrativa. De qualquer forma, é um bom contraste com a personalidade mais obscura de Lumi.
"Dentro de você, há sempre uma parte que ninguém pode tocar. Você é você. Você é sua e dentro de você está o universo. Você pode ser o que quiser. Você pode ser qualquer pessoa."

O desfecho foi um ponto interessante, pois vemos nossa personagem em seu momento mais vulnerável, e assim descobrimos seu passado. A autora criou para ela uma história convincente para aquele momento, mas não completamente, e espero sim mais respostas no segundo volume dessa trilogia, que já foi lançado (Branco como a Neve) e que será lido em breve.

A leitura é rápida, de poucas horas, e mantém o leitor entretido. Não é uma obra excepcional, e tem muitos problemas, mas foi uma surpresa para mim, que não tinha quase que expectativa nenhuma com ela, e agora me pego desejando ler a sequência.


Eu adoro essa capa, assim como a do segundo livro, e a do terceiro (que já foi liberada pela editora). Encontrei poucos erros de revisão, e nada que atrapalhasse a leitura. A fonte tem um ótimo tamanho e o espaçamento só favorece para uma leitura rápida.

Leitura indicada para quem curte thrillers mais juvenis, tramas envolventes e personagens misteriosos! E quem já leu, me conta nos comentários o que achou :)

2 comentários :

  1. Oi Gaby! Conhecia pouco sobre o livro, mas após sua resenha fiquei bem curiosa pra conhecer a história. Apesar de ser uma trilogia, os livros são bem fininhos, né?! Gostei bastante de personagens bem construídos e a trama cheia de reviravoltas.
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São mega fininhos, sim! Leitura de pouquíssimas horas. Eu li o segundo livro mês passado e acabei não gostando :( Mas quero concluir a trilogia.

      Beijos!!!

      Excluir

Obrigada por comentar!