Favoritos de 2014 (em construção)

terça-feira, 17 de outubro de 2017

A Cidade das Máscaras, de Genevieve Cogman

Resultado de imagem para masked city genevieve cogmanAutora: Genevieve Cogman
Título original: The Masked City
Série: A Biblioteca Invisível #2
Editora: Morro Branco
Ano: 2017
Páginas: 400
Skoob | Goodreads
*Exemplar recebido em parceria com a editora
Sinopse: Irene está trabalhando como espiã em uma Londres Vitoriana, coletando importantes livros de ficção para a misteriosa Biblioteca, quando Kai é sequestrado. A origem enigmática de seu assistente significa que ele tem aliados e inimigos igualmente poderosos, e seu sequestro só pode significar uma coisa: guerra entre as forças da ordem e do caos, capaz de destruir mundos inteiros. Para manter a humanidade longe do fogo cruzado – e salvar Kai de uma morte certa –, Irene terá que fazer aliados duvidosos e viajar até as profundezas de uma Veneza repleta de magia negra e estranhas coincidências, onde é sempre Carnaval. Lá, ela precisará lutar, mentir e chantagear seres poderosos. Ou enfrentar consequências fatais.
A Cidade das Máscaras é o segundo livro de uma série.
Esta resenha pode apresentar alguns fatos ocorridos no primeiro livro,
porém nada que possa atrapalhar sua futura leitura.

Irene é uma espiã da Biblioteca, uma associação secreta que visa recuperar (às vezes roubar) primeiras edições de livros de ficção, o que por muitas vezes colocou sua vida em risco. Em sua última missão ela enfrentou sua cota de vilões e ficou marcada por essas experiências, que também levaram a Biblioteca a fazê-la estender sua estadia em Londres com o seu aluno e protegido, Kai.

Essa Londres alternativa continua perigosa, boa parte dela dominada pelos féericos e criaturas sobrenaturais, como vampiros e lobisomens. As missões de Irene e Kai continuam arriscadas, mas nada além. Até que alguns eventos inexplicáveis antecedem algo que, dali para a frente, mudaria por completo a situação de ambos. Kai é sequestrado, e agora Irene, com a ajuda de seu amigo detetive Vale, precisam agir.

A ajuda para resgatar Kai vem de onde eles menos esperam, e de quem menos confiam: do féerico Lorde Silver, que já tinha mostrado seu poder de ilusão e magia sobre Irene em outras oportunidades. Silver tem suas próprias razões para querer a liberdade de Kai, ou melhor, pelos eventos que irão anteceder sua libertação.

Os motivos para o sequestro de Kai só podem estar ligados ao fato que ele, e toda a Biblioteca, escondeu de Irene: sua origem. Agora, esse parece ser o motivo de os féericos mais poderosos o terem levado, e para um lugar dominado pelo Caos, onde ele não conseguiria se defender sozinho.
"Ela se recuperou agarrando-se a tudo que era - Eu sou uma Bibliotecária, eu sou Irene, e não sou vítima de ninguém."
Irene parte então para uma Veneza alternativa dominada pelas forças do Caos onde é sempre Carnaval. Entre multidões mascaradas, ruas estreitas e imponentes construções, essa se prova a missão mais desafiadora de sua vida, e também a mais pessoal. Irene não apenas tentará salvar Kai, ela tentará impedir uma guerra entre mundos que ameaçaria a vida de muitos mortais.


A Cidade das Máscaras é o segundo livro da série que se iniciou com A Biblioteca Invisível (resenha aqui). Minha primeira excursão no universo criado por Genevieve Cogman foi incrível; me senti totalmente presa na história e completamente apaixonada pelos personagens. Minhas expectativas com esse segundo estavam, obviamente, bem altas, tanto por sentir falta dos personagens quanto por ter a esperança de que a autora abordaria melhor os pontos deixados em aberto no primeiro.

Não me decepcionei em nada com A Cidade das Máscaras. Foi uma leitura ainda mais envolvente que a do primeiro livro, e autora criou aqui uma aventura tão intrincada e cheia de reviravoltas que foi, para mim, impossível largar o livro até chegar ao final. Aqui temos apenas um vislumbre da nova dinâmica entre Irene e Kai antes desse último ser sequestrado, e confesso que senti falta deles juntos no decorrer da trama, onde temos a Irene agindo sozinha por boa parte dela.


A autora explica nesse volume um pouco mais da dinâmica entre os féericos e outros seres fantásticos presentes nesses mundos alternativos; suas inimizades, seu alcance e autoridade. A Veneza que Genevieve descreve nessas páginas é totalmente mágica, com seus rios, suas máscaras e sua dramaticidade. Eu adorei tudo!

Senti falta ainda, confesso, de uma descrição mais ampla da Biblioteca em si, apesar de termos ainda, ao final do livro, alguns bônus bem interessantes, onde acompanhamos a Irene em 5 de suas missões favoritas de roubo de livros. Temos também uma lenda da Biblioteca bem curta e uma entrevista que a autora deu quando o livro foi lançado lá fora. Foi uma entrevista bem esclarecedora sobre muitos pontos e recomendo que não passem batido por ela.

Essa foi uma leitura altamente envolvente, instigante e recheada de intrigas, segredos e muita correria e sagacidade da parte da Irene. O detetive Vale, personagem que muito me agrada, também teve sua parcela nessa aventura, o que deu mais dinamismo a trama.

Se você gostou do primeiro livro simplesmente não pode deixar de ler este segundo, pois é ainda melhor! Continuo encantada por essa série e mal vejo a hora de ler o terceiro, que tem o título The Burning Page e já foi lançado lá fora:

29345916

Só posso dizer isso: leiam!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada por comentar!