Favoritos de 2014 (em construção)

terça-feira, 18 de julho de 2017

Desnudo, de Thássio G. Ferreira

Autor: Thássio G. Ferreira
Editora: Ibis Libris
Ano: 2016
Páginas: 84
Skoob
*Exemplar recebido em parceria com a Oasys Cultural
Sinopse: Despido de si, o uno é sempre um outro, de maneira que somente a poesia possa deflagrar tal dinâmica de alteração e pró-criação do existente. A razão entra, sim, no cuidado de revelar a própria emoção poética, sem que a aniquile quando consumada na forma-poema. Dessa consciência, Thássio G. Ferreira se vale: maneja ferramentas sonoras, rímicas, rítmicas. Entre aliterações e assonâncias, não joga as palavras, nem somente joga com elas. O poeta se joga, sim, à palavra como quem “se entrega ao sol do mundo”. Prefácio de Igor Fagundes.

É sempre difícil para mim falar sobre os livros de poesia que leio, pois nem sempre encontro palavras para descrever o que senti ao longo da leitura, e quando encontro geralmente não me sinto confiante de que elas irão passar ao leitor de forma clara minha experiência de leitura. Desnudo, ou melhor, (Des)nu(do), do autor carioca Thássio G. Ferreira, reúne, em uma bela edição, 49 poemas, alguns bem curtos, outros mais longos, mas todos muito belos.

Eu adoro conhecer novos autores de poesia, especialmente os brasileiros, e estou tendo ótimas surpresas com minhas últimas leituras do gênero. Não foi diferente com Desnudo e os versos que compõem os poemas aqui presentes são de uma beleza pura e simples, mas não de leitura rápida, pois é preciso ficar atento às palavras do autor e muitas vezes realizar uma releitura, para compreender melhor ou mesmo fixar esses versos na mente.
Para descrever o livro, o poeta Igor Fagundes, que assina o prefácio de Desnudo nesta edição, usa as seguintes palavras: "A razão entra, sim, no cuidado de revelar a própria emoção poética, sem que a aniquile quando consumada na forma-poema. Dessa consciência, Thássio G. Ferreira se vale: maneja ferramentas sonoras, rímicas, rítmicas. Ente aliterações e assonâncias, nem somente joga com elas. O poeta se joga, sim, à palavra como quem "se entrega ao sol do mundo."

O livro é dividido em três partes, e são elas O Poeta, primeira parte; a segunda é intitulada A Poesia e a terceira e última é intitulada O Tempo e o Silêncio. Pelos títulos o leitor já consegue prever os temas e pontos que o autor irá tocar nos textos ali reunidos.

Meus poemas favoritos foram Desembaraço, O Poeta Ri de Si, Possibilidade de Ocorrência, Incitação e Despetalamento. Pode parecer pouco, apenas 5 favoritos entre quase 50 poemas, mas para mim é um ótimo número, e lembro de todos os poemas que figuram essa lista, entre todos os poetas e estilos que já li, com muito carinho.




(Desembaraço)

Dispo-me, o mais que posso,
de minhas máscaras,
meus temas,
minhas teses do si
e de mim mesmo.
E simples sou.
Sou em momento
um desembaraço.

(Possibilidade de Ocorrência)

A poesia se dá,
dentre outros momentos,

quando
a delícia estalada
do espanto

se sobrepõe

ao sabor
mais grave
do entendimento... 

Ótima leitura, que recomendo a todos. Espero ouvir muito ainda sobe Thássio G. Ferreira e ter a oportunidade de ler mais obras de sua autoria no futuro.

4 comentários :

Obrigada por comentar!