Favoritos de 2014 (em construção)

domingo, 1 de maio de 2016

Mulheres que não sabem chorar, de Lilian Farias.

"... há alguns alívios que só as mulheres podem sentir. Algumas cargas, só as mulheres compreendem. E quando uma mulher chora aliviada, o universo também sente. Outras mulheres também sentem."

Skoob || 210 páginas || Giz Editorial 
Sinopse: A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Enquanto isso, Ana e Verônica esbarram com o acaso. Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Duas jovens livres e independentes. O que as impede de ficar juntas? Mulheres que não sabem chorar é mais que uma história de amor entre iguais. Junto a estas personagens tão humanas, o leitor vê-se despido dos preconceitos, pudores e medos. Ora crua, ora poética, a trama nos obriga a enfrentar o espelho e se ver como nunca imaginou antes. Pois ao mergulhar neste romance, o que fará você pensar não é a forma como vê o amor, mas sim a forma com que ele se volta em sua direção. Esteja preparado. (Danilo Barbosa - Autor de Arma de Vingança)


Mulheres que não sabem chorar, da autora brasileira Lilian Farias, parceira do blog, é um livro que, logo no primeiro capítulo, mostra ao que veio. Lilian não tem "papas na língua" e é ousada, imprevisível e presente em cada página. 


Marisa é uma mulher controladora, fria e sarcástica. Em casa, com os filhos, ela não demonstra afeto; no trabalho, nunca dá o braço a torcer. Passou anos de sua vida preocupada apenas em ganhar mais e mais poder; assim, construiu seu império. Dona de uma floricultura movimentada, Marisa é rica, porém nada sabe sobre felicidade. 

Olga é o contrário. Alcoolista, ela perdeu há muito tempo a vontade de lutar pela recuperação. Poderia, em qualquer dia da semana, ser confundida com uma mendiga. Já não se importava mais com a violência para com ela nas ruas. Ela merecia. Ou assim pensava. 

Marisa e Olga moram na mesma rua, e sempre que se encontram trocam farpas. Marisa se enoja com a situação de Olga; Olga, nunca fica sóbria o suficiente para se importar com algo além de entornar outra garrafa. Em seus poucos momentos de lucidez, sofre as dores da vida, preferindo a alternativa. 

Ana é uma jovem mulher fragilizada pelos fantasmas de seu passado. Quando encontra Verônica, vê naquela bela mulher um amor; uma vida. Porém tem medo de que a outra veja seu verdadeiro eu, sua bagunça particular que tenta esconder, temerosa que ela vá embora assustada. 

"Todo mundo tem algo a dizer, todos nós temos experiências fabulosas, só que em algum lugar do mundo a arte de ouvir fora perdida com a própria arte de viver."

A história dessas mulheres se interligam com a história de muitas outras. Mulheres violentadas, marcadas, traídas, sofridas, roubadas, caladas, violadas; incompreendidas. Mulheres que foram vítimas da crueldade, do machismo e da intolerância; do preconceito e da falta de informação. Uma vítima da outra, e da outra, e de outros... 



Com uma escrita forte, visceral, Lilian nos apresenta a história de incontáveis mulheres que sofreram abusos em diferentes fases da vida; com foco em 3 personagens principais: Marisa, Olga e Ana.
Personagens pelas quais eu não senti empatia.

Marisa é uma personagem dura, inflexível. Quando pensamos que ela melhora, ela vem e nos surpreende com mais um episódio de egocentrismo e frieza sem igual. Não que ela não sofra as consequências de ser assim, mas ela, em momento algum, foi uma boa pessoa. Marisa é cruel, e suas ações mostram isso. E nada justifica crueldade. Ela é ruim. Ponto.
Olga é uma mulher mais livre, mais apaixonada. Suas emoções sempre à flor da pele. Passou a vida inteira sofrendo; e já não consegue não sofrer. Faz parte dela.
Ana é a mais jovem, porém não sofre menos. É uma personagem que se revela aos poucos para o leitor, mas faz tanto barulho quanto as outras duas. 

São protagonistas. Não são mocinhas; felizes, sorridentes e que encontram um pote de ouro no fim do arco-íris. São mulheres. Mulheres que sofrem por serem mulheres. São pura carne, alma e vida. São amor à flor da pele e ódio na mesma medida. 
Um trecho que traduz bem isso: 
"... qual a necessidade de retirar os espinhos das rosas para admirá-las?"

O livro traz uma temática LGBT e possui cenas descritivas de sexo. 
Lilian tem uma escrita muito bonita e não se atém a apenas um assunto, uma mulher, uma vida. Ela voa nas páginas, e pousa sem leveza. Ela não faz firulas ou enfeita muito a narrativa. Por ser direta, acabamos por ler o livro com uma rapidez assustadora, apesar do conteúdo nada simplório ou fácil. Sabe aquele tipo de livro que nos acerta como um soco no estômago? 


Não quis me aprofundar muito sobre o que acontece no livro, pois tenho medo de entregar mais do que devo e estragar as surpresas para vocês. Lilian foi muito fiel a si mesma e no que acredita escrevendo esse livro, e mesmo não conhecendo-a bem, pude reconhecê-la em cada página. Obrigada por essa experiência marcante!!

A reedição, que saiu esse ano pela Giz Editorial, está impecavelmente bela. Encontrei um ou outro erro de revisão que não atrapalharam em nada. Amo essa capa, o título, o nome de cada capítulo (cada capítulo, uma flor diferente)!


*Exemplar cedido para resenha em parceria com a autora. 

25 comentários :

  1. Oi Gabi, a cada comentário que leio desse livro fico ainda mais curiosa para conferir. Imagino que a obra deve ser bem intensa, especialmente pela temática. Espero conferir em breve.
    beijos, Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Fer! Espero que leia e goste de experiência.
      Beijos!

      Excluir
  2. Eu estou morrendo de vontade de ler esse livro. Me apaixonei pela escrita da Lilian desde que li "O céu é logo ali". Esse livro parece ser tão bom quanto e também só escuto ótimos comentários sobre ele. Achei as fotos lindas e você só me deixou mais curiosa para ler logo. Estou com ele em e-book mas ler no pc é muito complicado, mas já está entre as minhas próximas leituras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Céu é Logo Ali eu quero ler em breve *-*
      Que bom que ficou curiosa pela leitura. Espero que goste.
      Beijos!

      Excluir
  3. Oi, tudo bem?
    ESse livro parece ser bem forte e profundo. Confesso que ainda não conhecia, mas sua resenha despertou minha curiosidade. Acho que gostaria de todas as protagonistas, mas cada uma ao seu modo.
    Olhando assim, nem imaginaria que teria cenas de sexo.
    Adorei a resenha e gostaria de ler o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom forte, sim.
      Fico feliz por isso! Obrigada <3
      Beijos!

      Excluir
  4. Olá Gabrielly,
    Esse livro parece ser extremamente forte e marcante.
    Ainda não conhecia o título, mas fiquei bem curiosa em relação a leitura. Acho que é muito atual o fato de a autora não ter trabalhado mulheres perfeitinhas, leves e com vidas fascinantes. Ela trabalhou o que, de fato, acontece com muitas mulheres pelo mundo e que, muitas vezes, ficam quietas.
    A única coisa que me intrigou foi saber das cenas de sexo. Entretanto, acho que isso não atrapalhará a leitura pra mim.
    Anotei a dica e adorei a resenha.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem forte sim, Bruna! A Lilian fez um trabalho muito bom.
      Fico feliz que tenha gostado!
      Beijos

      Excluir
  5. Oiee ^^
    Eu sou completamente apaixonada pela capa desse livro ♥
    Gosto muito da escrita da Lilian, e acho que, de todos os livros que eu já li, nenhum me fez pensar tanto na situação da mulher como este, e também foi o primeiro com temática LGBT que eu li, o que desencadeou uma paixão por histórias assim que eu até então não sabia que tinha. É um livro maravilhoso, né?
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto de livros com temática LGBT! Essa capa é maravilhosa, não é? Também adorei.
      Beijos!

      Excluir
  6. Uau, que resenha pulsante... suas palavras têm força, obrigada por isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado, Lilian!! Obrigada você por ser tão atenciosa ♥♥♥
      Beijos!!

      Excluir
  7. Oiii!

    Eu não conhecia esse livro e achei o título maravilhoso!!
    Fora que o enredo no geral é ótimo né? acho que propostas que saem da caixinha são excelentes para nos fazer pensar ou questionar sobre nossas próprias vidas. A dica está anotadinha e espero ler em breve! As fotos ficaram ótimas!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O título é mesmo maravilhoso!!
      Fico feliz que tenha gostado, Ana!! :D
      Beijos ♥

      Excluir
  8. Ola, tudo bom?
    Amei a sua resenha, me deixou com muita vontade de ler o livro.Parabéns, amei *--*

    ResponderExcluir
  9. Olá!! :)

    AInda bemq ue gostaste assim tanto! :) Nao conhecia mas achei um livro bem marcante! :)

    QUe bom que te identificaste assim tanto com a escrita da autora e que voaste pelas paginas nessa leveza.. Bem, mas depois veio esse soco no estomago, nao e verdade? :) Tambem adoro o estilo!! :)

    Vou mesmo ter de ler o livro, aceito a dica!! :) ahah

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Gabrielly, tudo bem? Gostei bastante dessa reedição. Bom, parece ser um livro cheio de emoção e sentimentos, a autora não tem medo de dizer o que pensa, mesmo que seja de uma forma mais pesada.. parece ser um livro bastante marcante. As personagens bem diferentes, mas com um ponto em comum, o abuso que sofreram, e o livro parece tratar tão bem a situação de tantas mulheres. Só fiquei meio com o pé atrás, pois você disse que não sentiu empatia pelas personagens, e geralmente, quando eu não me sinto assim, a leitura acaba não sendo tão agradável... mas só eu lendo para saber, não é mesmo.

    Enfim, gostei bastante da sua resenha.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  11. Gosto de leitura mais densas assim, é a primeira que leio uma resenha dessa obra da autora, e fiquei empolgada para conhecer a obra. Abuso é um tema bem forte, e gostei de saber que a autora tem uma escrita boa.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, Gabrielly!
    É sempre bom deixar um pouco de suspense nas resenhas. Isso nos desperta ainda mais a curiosidade pela obra.

    ResponderExcluir
  13. Oii,

    Nossa, simplesmente amei a sua resenha. Ela foi simplesmente diferente, pois contou sobre os personagens e suas histórias, mas ao mesmo tempo não entregou muita coisa. Não conheci essa livro e já estou querendo para ontem. Parabéns pela resenha.

    beijos

    ResponderExcluir
  14. Já tinha visto a capa do livro por aí e não sabia do que se tratava, gostei de ser uma obra que traz personagens bem reais e que facilmente encontramos alguém parecido por aí e também abordar o lado LGBT, é uma pena os personagens não terem te cativado tanto e imagino que nem todos tem estômago para um livro narrado dessa forma, mas bela resenha!

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Wow!

    Pela capa achei que era um livro internacional! Não sei o pq, mas eu achei... Enfim, a história me deixou bem curiosa. É um tema que não costumo encontrar muito em livros, mas que sempre desperta a minha curiosidade. O fato a autora demonstrar ousadia em sua escrita também contribuiu para aumentar o desejo de conhecer a obra. Parabéns pela parceria!

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi, flor.
    Que bela resenha. Adorei saber mais sobre essa obra, que será minha próxima leitura. Eu li recentemente O Céu é Logo Ali e a Lilian me encantou com seu estilo narrativo. Estou ansiosa, portanto, para ler Mulheres que não sabem chorar, pois parece-me trazer um enredo que nos faz sentir empatia pelo sofrimento que tantas mulheres vivem com seus dilemas femininos, com suas personalidades, com as exigências culturais... enfim. Logo terei minha própria opinião.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi,
    Eu tive o prazer de conhecer a obra anos atrás em outra edição e gostei muito,
    pelo que a Lilian me disse houveram algumas mudanças entre a edição que eu li e essa
    o que me deixa bem curiosa, espero ter a oportunidade de ler esse em breve também.
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!