Favoritos de 2014 (em construção)

terça-feira, 4 de julho de 2017

Inventei Você?, de Francesca Zappia

Autora: Francesca Zappia
Título original: Made You Up
Editora: Verus
Ano: 2017
Páginas: 346
*Exemplar recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Alex está no último ano do ensino médio e trava uma batalha diária para diferenciar realidade de ilusão. Armada com uma atitude implacável, sua máquina fotográfica, uma Bola 8 Mágica e sua única aliada — a irmã mais nova —, ela declara guerra contra sua esquizofrenia, determinada a permanecer sã o suficiente para entrar na faculdade. E Alex está bem otimista com suas chances, até se deparar com Miles. Será mesmo aquele garoto de olhos azuis com quem ela compartilhou um momento marcante no passado? Mas ele não tinha sido produto da sua imaginação? Antes que possa perceber, Alex está fazendo amigos, indo a festas, se apaixonando e experimentando todos os ritos de passagem tipicamente adolescentes. O problema é que ela não está preparada para ser normal. Engraçado, provocativo e emocionante, com sua protagonista nada confiável, Inventei você? vai fazer os leitores virarem as páginas alucinadamente, tentando decifrar o que é real e o que é invenção de Alex
O gênero jovem adulto é um dos que mais li exemplares e, por isso, é fácil identificar quando um autor não coloca nada novo na trama, ou segue uma fórmula já muito usada (não deixa de ser bom, só não surpreende), então quando me deparo com um livro que aborda assuntos tabu ou possui algum personagem que não se encaixa nos padrões impostos pela sociedade fico imediatamente interessada pela leitura. E foi esse o caso com Inventei Você?, primeiro livro da autora estadunidense Francesca Zappia.

O livro é narrado por Alex, uma adolescente que está terminando o ensino médio e planejando entrar na universidade, só que para Alex não é só uma questão de ir bem na escola ou escrever a carta do jeito certo, é questão de se manter sã o suficiente para não ser mandada a um hospital psiquiátrico e perder então a chance de seguir com sua vida. Alex tem esquizofrenia, e mesmo com seus medicamentos, acompanhamento psicológico e uma mãe super cuidadosa, ela tem crises onde não consegue diferenciar o que é real e o que é fruto de alucinações. Para registrar cada coisa fora do comum que encontra, ela usa uma câmera e, todas as noites, revê as fotos que tirou para observar se alguma coisa mudou.

Um episódio um pouco mais violento fez com que a personagem fosse expulsa da escola e mandada para outra instituição, onde conhece Miles, um garoto de lindos olhos azuis que a faz lembrar um momento marcante de sua infância. Mas será que ele é aquele garotinho, aquele que sua mãe insiste em dizer que nunca existiu? Alex não consegue nem imaginar que isso seja fruto de sua doença, ele é real demais e faz com que ela se sinta normal, ela não quer perder isso.


Mas a vida na nova escola não é nada tranquila, e ela logo desperta a ira de alguns colegas que veem nela um alvo para zombarias, devido a seu cabelo muito vermelho e comportamento estranho. Alex não come nada antes de verificar várias vezes se tem escutas na comida, e faz verificações de perímetro em cada canto que pisa, para ver se tem alguém seguindo ou a observando. Alex também morre de medo de espiões e nazistas. Mas ela também encontra pessoas legais ali.

Um mistério bizarro envolvendo o diretor de sua nova escola faz com que ela e seus novos amigos investiguem o caso. Mas o que é realidade e o que é alucinação? Alex teme não ter mais como definir.
"Fiz uma verificação de perímetro, notei os homens - reais ou irreais? - em pé sobre o telhado e pendurei a mochila no ombro. Tive uma sensação avassaladora de que as pessoas estavam olhando para meus cabelos. Quando olhei em volta, ninguém nem prestava atenção em mim."
A doença de Alex é muito pouco conhecida e falada, e essa desinformação faz com que as pessoas interpretem a esquizofrenia erroneamente, perpetuando a ignorância sobre o assunto, marginalizando, julgando e tendo reações exageradas em frente a pessoas esquizofrênicas, ou então os isolando totalmente ou os tratando com inferioridade.


É justamente por esse preconceito que a protagonista passa no livro, tendo sempre que se explicar ou correr de situações que exigem isso. Mas a autora não foi tão bem sucedida em abordar a doença pois não fugiu do lugar-comum e não deu informações precisas sobre o quadro de Alex, pois a esquizofrenia se manifesta no fim da adolescência/vida adulta e a personagem desenvolveu ainda criança e também sobre os medicamentos. A psicóloga dela também não aparece em momento algum, e só sabemos que existe. Outra coisa é que a doença se manifesta através de diferentes sintomas, e a autora só se utilizou dos dois mais "comuns" que são as alucinações e os delírios, e ainda a personagem para de tomar os medicamentos em certo momento por estar se sentindo melhor, e não vemos as consequências disso.

Não vejo isso como uma romantização da doença, pois o livro não é focado nisso. Mas é recorrente o bastante para a autora colocar dados concretos e desenvolver melhor o quadro da personagem.


Essa foi uma leitura muito envolvente, divertida e rápida. As páginas passam depressa e o leitor se vê preso a cada uma delas, sem conseguir largar. Eu adorei os personagens, diálogos e o romance que foi desenvolvido.

Como a Alex não é uma narradora confiável, é certo que o leitor vai questionar cada página, personagem e ação aqui narrados, se perguntando o que é e o que não é um delírio. Nisso, a autora surpreende bastante :)

Se estiverem atrás de um bom jovem adulto, indico fortemente essa leitura! Apesar dos pesares, foi uma experiência mega legal.

12 comentários :

  1. Ei Gaby!
    Nossa, eu tô louca pra ler esse livro. Já está postos no meu kindle. Rs...
    Mas acabei passando uns livros na frente, por isso não li ainda.
    Sua resenha e as fotos ficaram lindas. Adoro ler resenhas com fotos e com citações,
    deixa o texto tão mais leve e completo.

    Beijos!
    Anne,
    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Preciso desse livro na minha estante! Estou suuuuuuuuper curiosa! Amei sua resenha! As fotos estão incríveis!
    Obrigada pela dica!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    Eu ainda não li o livro, mas desde que li a primeira resenha da história, fiquei bem curiosa. Comc erteza vou fazer a leitura desse livro, e acredito que vou gostar muito dessa leitura. Tem tudo para eu gostar da história.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Não sou nenhum pouco fã de YA. Pouquíssimos até hoje me prenderam além da primeira página.

    Abordar transtornos mentais é muito complicado, se a autora acabou se perdendo, fica ainda pior, gostei demais da sua sinceridade. Ótima resenha!

    bjss

    ResponderExcluir
  5. Que capa linda!!!
    Mas saber que um personagem que ser melhor desenvolvido, não sei se leria.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oie, tudo bem?! Nossa estoou muito a fim de ler esse livro e depois de ver sua resenha já vou atrás dele.
    O fato da protagonista ser esquizofrênica me causou muita curiosidade, até por não conhecer tão a fundo a doença.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oie
    Eu acho essa capa linda linda linda!
    Já tinha lido outras resenhas desse livro mas confesso que não me animaram muito. Já a sua foi bem escrita e fiquei com a impressão de q realmente se trata de uma boa leitura.
    Gostei e já vou anotar na minha lista pois resolvi dar uma chance pra esse livro.
    Bjo

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Eu acho essa capa linda linda linda!
    Já tinha lido outras resenhas desse livro mas confesso que não me animaram muito. Já a sua foi bem escrita e fiquei com a impressão de q realmente se trata de uma boa leitura.
    Gostei e já vou anotar na minha lista pois resolvi dar uma chance pra esse livro.
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?

    Confesso que não sou muito fã de Ya, mas que as vezes tento me aventurar em alguns.
    Essa questão do transtorno da personagem para fazer valer a pena em um livro tem de ser muito bem abordado, a temática me causa receio por conta disso. Quem saber um dia, quem sabe...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    Leio muitos YA's e gosto quando eles trazem assuntos marcantes como o desse livro, que além de nos fazerem enxergar um ponto de vista diferente, ainda nos cativa e nos marca. Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, porém estou bem empolgada para fazer essa leitura e conhecer essa história, que tem uma premissa tão incrível. Espero gostar bastante desse livro.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Essa capa é bem engana pessoas haha Achei que era uma coisa bem fofinha, mas a medida que fui lendo as resenhas vi que a história é um pouco mais tensa. Gosto e por isso já está entre meus desejados tem um tempinho. Sua resenha só reforça porque devo ler <3 Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, Gaby!
    Mas gente, taí um livro que lerei para pesquisa em breve! haha
    Resenha maravilhosa, e uma ótima dica, como sempre!

    Abração,
    Elton

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!