Favoritos de 2014 (em construção)

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Para Sempre Alice, de Lisa Genova

Para Sempre AliceAutora: Lisa Genova
Título original: Still Alice
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2015
Páginas: 288
Sinopse: Alice sempre foi uma mulher de certezas. Professora e pesquisadora bem-sucedida, não havia referência bibliográfica que não guardasse de cor. Alice sempre acreditou que poderia estar no controle, mas nada é para sempre. Perto dos cinqüenta anos, Alice Howland começa a esquecer. No início, coisas sem importância, até que ela se perde na volta para casa. Estresse, provavelmente, talvez a menopausa; nada que um médico não dê jeito. Mas não é o que acontece. Ironicamente, a professora com a memória mais afiada de Harvard é diagnosticada com um caso precoce de mal de Alzheimer, uma doença degenerativa incurável. Poucas certezas aguardam Alice. Ela terá que se reinventar a cada dia, abrir mão do controle, aprender a se deixar cuidar e conviver com uma única certeza: a de que não será mais a mesma. Enquanto tenta aprender a lidar com as dificuldades, Alice começa a enxergar a si própria, o marido, os filhos e o mundo de forma diferente. Um sorriso, a voz, o toque, a calma que a presença de alguém transmite podem devolver uma lembrança – mesmo que por instantes, e ainda que não saiba quem é.

Neste livro vamos conhecer Alice, casada, mãe de 3 filhos adultos e professora de linguística em Harvard. Ela sempre foi uma profissional brilhante, dedicou os últimos 25 anos de sua vida à universidade e ao aprendizado, é até doutora em sua área de estudo. 

Ela estava para completar 50 anos quando os primeiros sintomas da menopausa chegaram. Logo depois vieram os esquecimentos, no inicio eram coisas pequenas como palavras, até que um dia durante uma corrida matinal, Alice esqueceu como chegar em casa.

Depois desses estranhos episódios de esquecimento ela decidi consultar um médico pensando estar com estresse, depois de vários exames e de seu medico não ter chegado a nenhuma conclusão, ela então vai a procura de uma segunda opinião medica, e depois de mais alguns exames, finalmente veio o diagnostico devastador: Alice estava com mal de Alzheimer de instalação precoce, ou seja, a doença apareceu antes da época em que é normalmente diagnosticada, 65 anos.

A partir do momento em que recebe esse baque, as mudanças na vida e na rotina de Alice e sua família são drásticas: seus filhos têm medo de desencadearem a doença, principalmente Anna, sua filha mais velha que é advogada, casada, e que quer muito ter filhos. 

No começo, Alice tem medo de contar para as pessoas com as quais convive, principalmente em seu trabalho, sobre seu diagnostico, mas com o passar do tempo e com o agravamento da doença, ela é obrigada a tornar esse assunto publico, e como seu quadro clinico se torna cada vez mais grave, ela é afastada de seu ambiente de trabalho e também da parte de sua que sente mais orgulho, já que sua vida em família nunca foi muito fácil.

Seu marido, John, assim como ela, sempre trabalhou muito, ele também é professor em Harvard, mas como ela sempre teve o mesmo ritmo de trabalho que ele, nunca ligou muito para seu distanciamento, mas conforme a doença vai tomando conta de sua cabeça, Alice acaba precisando mais que nunca do apoio do marido, mas percebe que ele só tem olhos para sua vida profissional.
"(...) Estou perdendo os meus 'ontens'. Se você me perguntasse o que eu fiz ontem, o que aconteceu, o que vi, o que senti e ouvi, eu teria muita dificuldade para fornecer detalhes. Talvez acertasse alguns palpites. Sou excelente em matéria de palpites. Mas a realidade é que eu não sei. Não me lembro de ontem, nem do ontem antes dele.
Seu relacionamento com sua filha mais nova, Lydia, também não é dos melhores; Alice nunca se conformou com o fato de a filha ser ser uma atriz de teatro e de ela não ter a ambição de fazer uma faculdade e ter um diploma. Mas a partir de seu diagnostico, todas as diferenças entre elas desaparecem.

Em Para Sempre Alice acompanhamos a emocionante luta da personagem para tentar frear sua doença, a mudança drástica em seu casamento e em sua vida profissional, e força com que Alice e Lydia retomam seus laços de amor, entre outras coisas extremamente emocionantes.



Sobre minha experiencia de leitura: Como a narrativa é feita em primeira pessoa, o leitor esta o tempo todo em contato com os pensamentos, angustias e questionamentos da Alice. Perceber como o cérebro dela vai se deteriorando a cada dia sem que ninguém possa fazer nada e extremamente angustiante e de cortar o coração.

Seu marido fica o tempo todo querendo ajudá-la, mas, sem saber o que fazer e desesperado por querer a antiga Alice de volta, acaba se afastando da mulher cada vez mais, mesmo sem perceber, e em muitos momentos durante a leitura ele toma atitudes totalmente detestáveis ao meu ver, o que me deixou com muita raiva dele, mas por outro lado eu entendia seu desespero.
"Tenho muito medo de olhá-la e não saber quem você é. 
_Acho que mesmo que um dia não saiba quem eu sou,você ainda saberá que eu a amo."
O que deixou o livro mais interessante foi o fato de a autora Lisa Genova trazer informações muito importantes sobre a doença, por exemplo: como a doença toma forma na cabeça do paciente, quais os remédios que podem ser tomados, sobre os grupos de apoio para parentes e cuidadores de idosos com a doença, e sobre a falta deles para portadores de Alzheimer de instalação precoce, já que esse tipo de diagnostico é tão raro, e por isso o papel de cuidar dessas pessoas e totalmente posto na mão de seus familiares, e também a informação animadora de que é possível aos filhos de pacientes com a doença fazerem exames para saberem se possuem o gene da doença, para que assim, se o diagnostico da doença for positivo, possam se tratar e assim, impedir que seus filhos nasçam com o Alzheimer.

Enfim, esse foi mais uma leitura extremamente pesada e maravilhosa que tive o prazer de realizar esse ano, e sem sombra de duvidas, recomendo a todos que a façam.

38 comentários :

  1. Oi Maria!
    Eu assisti o filme, mas lembro que não curti tanto... acho que foi o distanciamento com a personagem, mas fiquei curiosa ao saber que é narrado em primeira pessoa. Minha vó tem essa doença e sei como é horrível. :/
    Vou tentar ver se compro esse livro!
    Beijos
    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kamila!
      Eu ainda não assisti o filme, mas quero muito. Leia o livro sim, é sempre melhor que o filme (na maioria das vezes, pelo menos), espero que goste da leitura quando a fizer. Beijos

      Excluir
  2. Oi, Maria Eduarda.
    Adorei a sua resenha, mas acho que esse livro não é para mim no momento.
    Perdi uma pessoa querida recentemente e estou evitando qualquer história muito emotiva e sobre doenças! Talvez mais para frente!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila!
      Sinto muito pela tua perda! Mas espero que faça a leitura algum dia e que goste. Beijos

      Excluir
  3. Eu acho essa história muito incrível! Quero ver o filme. Que blog lindo e que resenha bem escrita! Parabéns pela dedicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa história é realmente muito incrível! Também quero muito ver o filme. Fico muito feliz que tenha gostado do blogue e da resenha. Obrigada!

      Excluir
  4. Oie tudo bem?!?! Eu não li o livro, só assisti ao filnne e fiquei bem impressionada.
    A história é tão comovente e tão real que sentimos as dores de todos os personagens como se fosse conosco, não é mesmo?!
    Adorei a resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anastácia! Estou bem e você? Se você já sentiu tudo isso com o filme, imagina quando fizer a leitura?! Fico muito feliz em saber que gostou da resenha. Beijos

      Excluir
  5. Não li o livro, mas vi o filme e nossaaaaaa! Me lavei chorado! A história é comovente demais. Fora que é algo que pode acontecer com qualquer um de nós e nossas famílias... Difícil não se emocionar e sentir na pele tudo que essa doença provoca. Refletir, que no fundo não somos nada... nem mesmo nossas memórias nos pertencem!

    Adorei a forma como fizestes a resenha... Parece que sofremos junto com a Alice!
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz em saber que o filme passa as mesmas emoções que o livro. Ainda não o vi, mas farei isso logo. Espero que sintas o mesmo caso faça a leitura. Fico muito feliz também que tenha gostado da resenha. Beijos

      Excluir
  6. Olá, tudo bem?
    Eu me arrependi profundamente em assistir ao filme, antes de ler o livro.
    Sua resenha ficou maravilhosa, e fiquei muito curiosa com a leitura.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayanni! Estou bem e você? Espero que faça a leitura o mais rápido possível e que goste da mesma. Fico muito feliz em saber que gostou da resenha. Obrigada! Beijos

      Excluir
  7. Oiii, tudo bem?
    Tenho bastante interesse e curiosidade em ler esse livro, sempre leio muitos comentários positivos a respeito dessa obra e quem sabe futuramente eu acabe comprando, fiquei bastante curiosa!
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgana! Estou bem e você?
      Fico feliz que tenha gostado da resenha e espero que goste da leitura. Beijos

      Excluir
  8. Heiii, tudo bem?
    Desde o lançamento do filme, que eu to de olho no livro Para Sempre Alice.
    Quero ler antes de assistir o filme e já sinto que vou me emocionar com os dois.
    Gostei mto do que falou do livro e do quao profundo ele é.
    Ainda pretendo ler esse ano.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzzy! Estou bem e você?
      Fico feliz que tenha gostado da resenha e espero que goste da leitura quando a fizer. Beijos

      Excluir
  9. Oi, Maria
    Assim como o filme, vejo que esse livro é bem elogiado.
    Gosto quando existe informações úteis e interessantes quando alguma doença é abordada. Feliz que gostou.
    Leria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leticia!
      Fico feliz que tenha interesse em realizar a leitura e espero que goste quando a fizer. Beijos

      Excluir
  10. Ola lindona eu assisti ao filme e me emocionei tantas vezes, pela situação, ver alguém que amamos perder a memória doí, pretendo ler o livro para me aprofundar em detalhes. Amei a forma como a autora expôs a doença bem detalhada sem ficar pesado o tema. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joyce!
      Ainda não assisti ao filme, mas espero fazer isso logo!
      Pois é, ter uma pessoa tão proxima com uma doença tão seria assim deve ser muito duro. Fico feliz que tenha interesse na leitura e espero que tua experiencia com a leitura seja tão boa quanto a minha. Beijos

      Excluir
  11. Olaaaaa, eu sempre vi esse livro por aí mas nunca sabia do que se tratava. Mas agora fiquei muito interessada na história e com muita vontade de ler! Ele parece ser ótimo e forte! Adorei sua resenha!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzane!
      Fico feliz que tenha interesse na leitura e espero que goste.
      Sim, ele é bem forte, mas é otimo! Fico feliz que tenha gostado da resenha. Obrigada! Beijos

      Excluir
  12. Oie!
    A leitura desse livro dever ser bem emocionante, ainda mais quando se trata de alguma doença. O bom que a autora traz detalhes sobre a doença, permitindo que o leitor entenda mais sobre o caso. Adorei a dica.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla!
      Sim, a leitura é muito emocionante. Fico feliz que tenha gostado da dica e espero que goste da leitura também. Beijos

      Excluir
  13. Confesso que não li o livro, na verdade eu parti para o filme sem saber que era um livro, fui desligada a esse ponto. Gostei do filme, foi uma história densa, interessante, e muito dramática, mas não sei se leria o livro já que vi o filme, quem sabe não é? Belíssima resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karine! Quando fiz a leitura, já sabia da existência do filme, mas até agora não o vi, acredita? Mas estou muito curiosa ainda! Espero que dê uma chance para a leitura, garanto que não irá se arrepender, toda os sentimentos que você teve com o filme irão se multiplicar com a leitura. Fico muito feliz que tenha gostado da resenha! Obrigada.

      Excluir
  14. Oie!

    Já conheço a história por já ter visto o filme, mas confesso que não é uma leitura que eu realizaria por livre e espontânea vontade D: Se no filme já achei o tema bem pesado, imagino que no livro a autora tenha se aprofundado ainda mais nos detalhes da doença, acredito que seja muito informativo e um material de primeira para aqueles a que interessar.

    Beijos!
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol!
      Que pena que não tem interesse na leitura! Beijos

      Excluir
  15. Olá!

    Vem cá, vamos nos abraçar e abraçar a Alice também! Eu li esse livro no ano passado e chorei com ela! Sem contar que, como tive um caso de Alzheimer na família, saber que posso fazer um exame pra saber se tenho tendência à doença não é nada animador. Tenho outro livro da Lisa aqui para ler e com certeza me emocionarei tanto quanto me emocionei com este!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kamila!
      Me abraça!!! Se esse livro já foi pesado pra mim que não tenho caso de Alzheimer na família, imagino como foi pra você. Também tenho outro livro da autora aqui, mas estou com as expectativas bem autas e com medo de me decepcionar. Beijos

      Excluir
  16. Olá,

    Sempre quis assistir esse filme, principalmente pela temática e também pelas reflexões que podemos extrair da história. Gostei muito de conferir suas impressões, pretendo futuramente investir na leitura.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivianne!
      Fico feliz que tenha interesse na leitura e espero muito que goste. Beijos

      Excluir
  17. Nossa, um livro em que a protagonista tem Alzheimer narrado em primeira pessoa deve ser mesmo de cortar o coração... E que interessante, não sabia que pessoas que possuem o gene podiam se tratar para os filhos não nascerem com ele, além de emocionante deve ser mesmo bem informativo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju! Esse livro é muito forte e cheio de informações sobre a doença. Beijos

      Excluir
  18. Olá! Eu assisti ao filme e nossa! É triste demais. Ver como a doença vai evoluindo, vai esquecendo as pessoas que ama. Minha tia-avó tem Alzheimer e é triste demais ver a mente da pessoa ficando em branco. Parabéns pela resenha. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzana! É realmente muito triste e angustiante acompanhar esse tipo de história. Fico feliz que tenha gostado da resenha. Beijos

      Excluir
  19. Olá!
    Ainda não li a obra, mas tenho muita vontade porque fiquei apaixonada pelo filme. Imagino que a leitura seja muito angustiante, até por se tratar de primeira pessoa e ficarmos sabendo os pensamentos da personagem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina!
      Sim, essa leitura é extremamente angustiante, mas igualmente maravilhosa. Espero que goste quando tiver a oportunidade de fazê-la. Beijos

      Excluir

Obrigada por comentar!